Vice de Mauro afirma que Taques foi arrogante com servidores

Por D.D.ANDRE 08/09/2018 - 15:18 hs

A falta de zelo com a máquina pública e falta de trato com o funcionalismo público foram apontadas por diferentes classes de servidores estaduais durante reuniões com os candidatos a governo pela coligação “Pra Mudar Mato Grosso”, Mauro Mendes e Otaviano Pivetta (vice-governador).

Somente nesta quinta-feira (06/09), durante reuniões com representantes da Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso, do Indea, do Intermat e da Área Meio, o postulante a vice-governador ouviu duras críticas à atual gestão.

“Nós (servidores) estamos sofrendo na pele o ataque ao funcionalismo público. Insegurança mensal sobre a data base dos nossos provimentos, uma luta degradante para o cumprimento dos direitos dos servidores, como foi para o pagamento da RGA e falta de estrutura nas nossas unidades que estão presentes nos 141 municípios”, pontuou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso, Rosimeire Ritter.

Com a mesma frustração, peritos criminais representantes da POLITEC – Perícia Oficial e Identificação Técnica de Mato Grosso – destacaram as dificuldades que o setor enfrenta. 

“Boa parte dos nossos materiais estão parados por falta de manutenção, insumos, trabalhamos em condições insalubres, buscamos fazer muito com pouco. Precisamos de mais apoio para executarmos de forma plena o nosso trabalho que é fundamental para Segurança Pública. Mas, não é tratado dessa forma”, afirmou o vice-presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais de Mato Grosso (Sindpeco), Alisson Trindade. 

Representando a Área Meio, o presidente do Sindicato dos Profissionais da Área Instrumental do Governo (Sinpaig), Edmundo César Leite, observou que apesar de Mato Grosso ser um dos Estados que mais arrecada na federação, os recursos estão sendo mal aplicados. “Não basta só arrecadar. É preciso saber com o que gastar”, afirmou Edmundo.

Atento a todas às demandas do Estado e aos problemas apontados pelos servidores estaduais, Otaviano Pivetta afirmou que com o empenho dos funcionários públicos, junto com as experiências administrativas dele e de Mauro Mendes, Mato Grosso vai retomar ao caminho do desenvolvimento. 

“O Estado sem os servidores é um gigante morto. O governo atual conseguiu, por falta de preparo e arrogância, colocar uns contra os outros. Ou seja, desmotivados e sem estrutura, a máquina do Estado foi tragicamente prejudicada e os serviços públicos deixaram de ser prestados da forma eficiência como poderiam ter sido”, avaliou Pivetta. 

Para mobilizar e motivar os servidores, em caso de vitória, Otaviano, assim como Mauro já tem adiantado em todas as reuniões em que participa com os trabalhadores, reiterou “o retorno para o pagamento dos salários para todo dia 30, o enxugamento da máquina, a valorização dos servidores de carreira e austeridade máxima ao desperdício dos recursos públicos”.